Jason doe

José Aníbal

Prestação de Contas

Reeleito para exercer o quinto mandato como deputado federal, José Aníbal foi escolhido por Geraldo Alckmin para administrar a Secretaria de Energia do Estado de SP. Assumiu em 2011, planejou o crescimento da matriz energética por fontes renováveis e deixou SP na vanguarda das ações para um desenvolvimento sustentável. O serviço de distribuição de energia elétrica em São Paulo melhorou substancialmente, com maior rigor nas fiscalizações e mais investimentos das empresas distribuidoras. Uma gestão que priorizou a transparência e a economia do recurso público, aplicado em programas de qualidade.

Programa de Resultados

01

Ações que fazem a diferença

----------------------------

Melhorar a iluminação nas escolas e combater o desperdício de energia foram ações de resultado.

02

Programa Desperdício Zero

----------------------------

Objetivo é economizar R$ 30 milhões por ano nas contas de energia nos prédios do Estado. Prioridade do programa que começou em 2013 e já tem resultados positivos.

  • •R$ 7.1 milhões economizados no ano passado.
03

Luz na escola

----------------------------

Investimentos próximos a R$ 50 milhões foram aplicados pela AES Eletropaulo e CPFL para melhorar a iluminação das escolas.

  • • 2.4 milhões de alunos são beneficiados com o programa em 2.490 escolas do Estado de SP.

PLANO PAULISTA DE ENERGIA

Matriz energética de São Paulo é uma das mais limpas do Brasil.

01

----------------------------

A 55.5% das fontes são renováveis, enquanto a média nacional é de 45% e a mundial, de apenas, 12.5%. O Plano Paulista de Energia (PPE) prevê a ampliação da matriz energética limpa de SP para garantir o crescimento e competitividade do Estado em harmonia com o desenvolvimento sustentável.

  • • Eficiência energética e desenvolvimento sustentável são temas centrais do Plano Paulista de Energia.
    • Atende à “Política Estadual de Mudança Climática”, criada em 2009 e que prevê queda de 20% na emissão dos gases de efeito estufa em 2020, comparado com o ano de 2005 (ano com menor índice de emissão de gases poluentes).

      O Plano Paulista de Energia nasce como ação do “Conselho Estadual de Política Energética”, coordenado por José Aníbal e que dá representatividade para mais de 70 entidades – focadas em buscar soluções para atingir a meta estabelecida pela lei. O PPE prevê aumentar as fontes renováveis que geram energia em SP dos atuais 55.5% para 69% em 2020.

      • • Ações do Plano Paulista de Energia
        • Para atingir a meta de 69% de fontes renováveis, o Plano Paulista de Energia propõe incentivo à geração de energia por meio da queima dos resíduos da cana-de-açúcar. O governo já desonerou bens destinados a essa cogeração. O etanol transportado por dutos também foi desonerado pelo Estado. Estímulo ao uso de etanol e biodiesel na frota oficial do governo do Estado e incentivo ao uso de biogás, que teve os equipamentos necessários para produção desonerados.

          As propostas do PPE foram organizadas nos eixos temáticos: eletricidade, biocombustíveis, eficiência energética e gás natural. As gerações eólica e fotovoltaica também devem contribuir para a ampliação da matriz renovável no Estado.

        • • Novas fontes renováveis de energia
          • José Aníbal preparou levantamentos necessários para identificação das fontes renováveis de energia em todo o Estado e a viabilidade de investimentos.

            A bioenergia produzida a partir do bagaço e palha de cana é uma das centralidades do Plano Paulista de Energia. São Paulo pode ampliar o potencial instalado de bioeletricidade de cana dos atuais 4,8 mil MW para 13 mil MW, com investimentos de R$ 28 bilhões, oriundos da iniciativa privada.

            O “Levantamento do Potencial de Energia Solar”, mostra potencial para abastecer até 4.6 milhões de residências por meio dessa fonte renovável. Na gestão de José Aníbal, o governo de SP concedeu diferenciação e suspensão de ICMS para a cadeia de insumos de equipamentos para aquecimento a partir de energia solar.

          • • O “Atlas Eólico do Estado de SP” identificou capacidade para abastecer até 5 milhões de residências. Os equipamentos (aerogeradores) estão suspensos da cobrança de ICMS desde 2013.

            75 mil residências serão beneficiadas pela construção da Pequena Central Hidroelétrica (PCH) de Pirapora de Bom Jesus, beneficiando cerca de 300 mil pessoas e com investimentos de aproximadamente R$ 113 milhões realizados pela EMAE (Empresa Metropolitana de Águas e Energia). A construção de PCHs (Pequenas Centrais Hidroelétricas) e CGHs (Centrais Geradoras Hidroelétricas) são prioridades da gestão de José Aníbal, que identificou 4 mil MW de potencial de exploração hidroelétrico remanescente no Estado.

            São iniciativas como essas que mostram a diversidade da força de São Paulo para continuar crescendo com qualidade de vida e respeito ao meio ambiente. Um futuro de fontes renováveis e de muita energia.

Desassoreamento do Rio Pinheiros

Controlar as cheias do rio Pinheiros foi prioridade central na gestão de José Aníbal...Leia Mais

Ciclovia Marginal Pinheiros e Ponte Bayer

Construída na margem oeste do rio Pinheiros, a nova ciclovia possui 2.8 km... Leia Mais

Trilha “Ecoturismo Caminhos do Mar”

José Aníbal e Geraldo Alckmin reabriram a trilha que liga ... Leia Mais

Iluminação Pública

Por determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica ... Leia Mais

Mineração

Você sabia que São Paulo é o terceiro maior produtor de... Leia Mais

Eficiência Energética

Nas Fatecs e Etecs, a disciplina de Eficiência Energética foi implantada... Leia Mais

Petróleo & Gás

Para o pré-sal, o governo do Estado investe na qualificação profissional... Leia Mais

Cooperação Internacional

Troca de experiências e conhecimentos com outros países... Leia Mais

Resultados

O tempo e a frequência de interrupção de energia elétrica diminuíram.

REDUÇÃO DA FREQUÊNCIA DA INTERRUPÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E O PERÍODO SEM ENERGIA, foram melhorados durante a gestão de José Aníbal, garantindo maior qualidade no fornecimento de energia elétrica para o consumidor. Acompanhe o gráfico.

Distribuidoras investem mais de R$ 6 bi e passam por maior rigor na fiscalização

Melhorar o atendimento ao consumidor e a qualidade da distribuição de energia elétrica foram prioridades de José Aníbal desde o início da sua gestão. Investiu R$ 2,1 milhões na Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de SP (ARSESP), para contratar novos ficais e entre 2011 e 2013 foram aplicadas mais de R$ 83 milhões em multas nas empresas de distribuição de energia. Com maior fiscalização, as distribuidoras investiram mais – somaram mais de R$ 6 bi e consequentemente melhoraram o serviço prestado.

Atendimento no PROCON-SP cai para 21ª posição.

Em 2010, apenas 30% das queixas eram solucionadas pela empresa que presta o serviço de distribuição de energia na região metropolitana de SP. Este índice melhorou 293% durante a gestão de Aníbal e a solução aos atendimentos realizados pelo PROCON-SP em 2013 subiu para 88%. Veja os dados.

Reduzir a frequência da interrupção de energia elétrica

Estado de São Paulo - queda de 15,4%
Região Metropolitana - queda de 19,50%


Reduzir o período sem energia elétrica

Estado de São Paulo - queda de 13,70%
Região Metropolitana - queda de 24,6%

O José Aníbal é isso sempre, não muda. Claro nas suas posições, corajoso na defesa do seu partido e dos seus companheiros. Por isso o partido e o seu país precisam de você cada vez mais na primeira linha, com o vigor da sua inteligência, com a sua honrada história de homem público

Aécio Neves

Contato

Rua Itápolis, 1060
São Paulo
SP

  11-3667-7811

  11-3661-4500

  joseanibal@joseanibal.com.br

  www.joseanibal.com.br