Siga o José Anibal
nas Redes Sociais

Busca

buscar

Newsletter

enviar

Notícias

20/02/2017

Para senador José Aníbal, casos de violência em consulado brasileiro na Venezuela são “inaceitáveis”

A Venezuela vive uma crise social e econômica, com escassez de alimentos e medicamentos, além da violência generalizada nas ruas. Os altos índices de criminalidade no governo ditatorial de Nicolás Maduro – aliado dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff – não pouparam nem mesmo o consulado brasileiro em Caracas, capital do país. De acordo com matéria do portal UOL publicada nesta segunda-feira (20), documentos relatam a falta de medidas para assegurar a segurança no prédio, a invasão armada na sede e casos de sequestros de funcionários do posto consular no período do governo petista, entre 2013 e 2014.

Telegramas obtidos pelo UOL, com base da Lei de Acesso à Informação, mostram a descrição das condições precárias das instalações e casos de violência pela cônsul-geral do Brasil em Caracas, Elza Moreira Marcelino de Castro, e a falta de investimentos por parte do governo Dilma. O embaixador Ruy Pereira também relatou sequestros e tentativas que obrigaram funcionários a se mudarem para um local mais próximo ao consulado.

Na avaliação do senador José Aníbal (PSDB-SP), os casos relatados pelo consulado brasileiro são inaceitáveis e refletem o grau de desorganização e ausência de autoridade nesta crise gravíssima que vive a Venezuela. “A Venezuela não está aguentando mais esse governo autoritário e populista que não consegue garantir a ordem e nem tirar o país da profunda crise econômica que está vivendo, com inflação totalmente fora de controle, uma produção que cai a cada dia, um descrédito total. O fato é que o governo Maduro é terminal, dividiu o país com uma crise que se agrava a cada dia e afeta todas as instituições e, inclusive, impacta até na vida dos diplomatas que estão lá”, pontua.

Para o tucano, a aliança entre Maduro e os governos Dilma e Lula sempre falou mais alto do que os interesses do Brasil, por isso não houve intervenção a favor do consulado brasileiro no país. “Tanto Lula como Dilma são de prerrogativa primitiva: aos amigos, tudo. Aos adversários, o cerceamento, a difamação, o vale-tudo. Inclusive, aos aliados que têm uma atitude até ‘deliquente’ de não assegurar a integridade das representações diplomáticas, como a do Brasil, eles faziam ‘vista grossa’, infelizmente. Agora, o novo governo já se manifestou várias vezes de forma muito dura contra esses desmandos que estão ocorrendo na Venezuela, inclusive naquilo que diz respeito à integridade dos diplomatas brasileiros”.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria do UOL.

*Com informações da Rede 45

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Outras Notícias