Siga o José Anibal
nas Redes Sociais

Busca

buscar

Newsletter

enviar

Notícias

03/07/2017

Em debate na zona leste de SP, José Aníbal defende mais diálogo com a sociedade e diz que Brasil precisa de uma ampla agenda de reformas

Encontro foi organizado pelo diretório do PSDB de São Miguel Paulista em razão dos 29 anos do Partido e reuniu mais de 120 pessoas

Em razão dos 29 anos do PSDB, o diretório tucano de São Miguel Paulista promoveu no último sábado (1) um debate sobre os valores da Social-democracia e o futuro do Brasil. O encontro reuniu mais de 120 pessoas e contou com as presenças do presidente nacional do Instituo Teotônio Vilela (ITV), José Aníbal, do secretário-chefe da Casa Civil do Estado de São Paulo, Samuel Moreira, do deputado federal e líder da bancada na Câmara, Ricardo Tripoli, do deputado estadual Ramalho da Construção, do prefeito regional de São Miguel Paulista, Edson Marques, além de membros de outros diretórios do PSDB da zona leste.

O presidente do ITV falou dos valores sobre os quais o PSDB foi fundado, fez uma análise da conjuntura econômica e política e disse que o País precisa urgentemente de reformas para se modernizar. “O PSDB surgiu com o lema ‘longe das benesses do poder e perto do pulsar das ruas’. É preciso aflorar esse debate novamente, elogio a Cida Costa, presidente do diretório de São Miguel, pela iniciativa de organizar esse encontro de hoje. Temos que municiar nossos ativistas, atualizar nosso programa e conversar com a sociedade, sem rodeios ou populismo”, defendeu José Aníbal.

Para ele, o anseio por reformas está na origem do PSDB e o partido tem que tomar a frente neste momento de crise e liderar uma nova agenda reformista, a exemplo da que foi implantada no governo FHC. “Fizemos a reforma agrária, reformamos o sistema financeiro, quebramos os monopólios, controlamos a inflação, iniciamos os programas de distribuição de renda. Temos que expor mais isso às pessoas. Demos rumo ao Brasil”, disse.

José Aníbal afirmou que a agenda de qualquer governo sério atualmente - após 13 anos de “vigarices petistas que quase quebraram o País”- precisa necessariamente estar focada nas reformas política, trabalhista e da Previdência. “Temos um sistema eleitoral que está dissociado das pessoas. É preciso avançar para o voto distrital. O que está aí é uma indecência. Os deputados eleitos hoje em dia gastam muito, não têm uma base e nem um compromisso”, disse. “O PSDB tem que liderar também o debate sobre a mudança de regime, do presidencialismo para o parlamentarismo, que é o que está no nosso programa fundador”, complementou.

Quanto à reforma trabalhista, Aníbal disse que ela é fundamental para estimular a economia e a geração de empregos. “É preciso uma legislação sem tantas amarras, claro que preservando direitos adquiridos, mas com o negociado passando a valer sobre o legislado, para permitir ao Brasil ser competitivo em um mercado cada vez mais dinâmico”, explicou.

Sobre a reforma da Previdência Social, o presidente do ITV esclareceu que ela é urgente para reduzir e controlar o déficit fiscal do País, além de atacar privilégios de determinados setores. “Tem que acabar com essa desinformação toda. O rombo é imenso, R$ 180 bilhões de déficit, 80 bi só do setor público, que atende a apenas 1 milhão de pessoas. Esses privilégios têm que acabar. O Brasil ainda é extremamente desigual. É preciso avançar para um sistema único de aposentadorias, com idade mínima. Se não fizermos uma reforma, o Estado não vai ter dinheiro para pagar as pensões e aposentadorias. Com a Grécia já aconteceu isso, tiveram que cortar linearmente o valor dos benefícios”.

Outras Notícias