Siga o José Anibal
nas Redes Sociais

Busca

buscar

Newsletter

enviar

Artigos

18/01/2017

Quatro anos, quatro premissas

Artigo do senador José Aníbal para os jornais da APJ - Associação Paulista de Jornais

Janeiro é a época de colocar em ação os planos e esperanças renovadas nas festas de fim de ano. Mais ainda neste 2017, em que deixamos para trás um ano difícil, mas que deixou claro o quanto a política e a administração pública devem ser pautadas pela responsabilidade e integridade com o dinheiro público, pelo diálogo franco e direto com a população, pela sensibilidade com os desafios sociais de um Brasil ainda injusto, violento, desigual e com muita pobreza. Podemos novamente voltar a acreditar num rumo para uma sociedade mais próspera, igualitária e com mais oportunidades para todos.

Não é excesso de otimismo nem se trata de jogar para baixo do tapete os problemas que temos que resolver. A crise econômica e fiscal se mostrou ainda mais forte do que se imaginava quando da conclusão do impeachment em agosto passado. Mas 2017 vai marcar a reversão de mais de dois anos de recessão, e com isso podemos imaginar árvores e ceias de Natal mais generosas daqui a 12 meses. As medidas econômicas - tanto as que aprovamos no Congresso Nacional, como a PEC que limita os gastos do governo, quanto as de ação direta do presidente Michel Temer, como a liberação do FGTS de contas inativas - vão começar a surtir efeito e o Brasil aos poucos voltará a crescer. Vamos enfim deixar para trás o desastre promovido pelo lulopetismo.

Toda essa crise deixou evidente o quanto são importantes a responsabilidade fiscal e a gestão eficiente. Sem cuidar bem do orçamento público e sem tomar medidas difíceis, porém necessárias, os investimentos caem, o desemprego e a inflação crescem, estados e prefeituras quebram. Nossos mais de 12 milhões de desempregados pagam a conta mais amarga do engodo da solução fácil e da hipocrisia dos que se dizem paladinos dos pobres.

Os brasileiros sabem disso. Por isso, rechaçaram nas urnas quem quebrou o país e deram um voto de confiança em quem está disposto a recuperar a credibilidade da nossa economia e a promover ações do governo com seriedade e eficiência, seja no nível nacional, seja no nível municipal.

Esse resultado não é fruto de promessas delirantes ou campanhas cheias de pirotecnias. Ao contrário, prevaleceu o compromisso com a gestão eficiente, o combate aos privilégios e ao inchaço da máquina burocrática, mas sem prejuízo das políticas públicas de educação, saúde, mobilidade, habitação, entre outras. Prevaleceu a coragem de falar ao povo o que pode e o que não pode ser feito, sem rodeios, como costumava dizer Mario Covas.

Todos esperamos que os bons prefeitos e prefeitas comecem seus mandatos tomando as medidas necessárias e inadiáveis para que suas prefeituras gastem menos agora e possam fazer mais e melhor por mais tempo. Os brasileiros esperam honestidade, competência, sensibilidade e transparência da classe política. Esse foi o recado das urnas de outubro, e esse deve ser o lema de toda mulher e homem público não só neste janeiro de 2017, mas ao longo dos quatro anos de mandato.

José Aníbal é senador pelo PSDB de São Paulo e presidente nacional do Instituto Teotônio Vilela (ITV).

Outros Artigos